Aquaponia: Vídeos e dicas de como comecei

A união de piscicultura com produção de hortaliças me atraiu desde que conheci o sistema.

Comecei a cuidar de jardins como forma de ajudar minha mãe. Na casa que tinhamos na rua Leon Foucoalt no Brooklin, divisa com o Jd Edith, uma vaga da garagem era reservada as plantas.

Por sinal eram muitas, concorriam com o jardim de minha avó, que morava nos fundos da casa e tinha sua coleção de latas de tinta cheias de plantas diversas.

Minha mãe sempre conseguia criar flores e árvores muito bonitas, tendo sido ela a plantar o enorme exemplar que havia na frente de casa e que caiu na grande chuva da década de 90.

Os jardins sempre me deixaram em paz, afinal cuidar de vasos e jardins é uma forma ótima de fazer terapia. Mas eu achava que tomava muito tempo.

Durante algum tempo visionei a criação de plantas em cursos dágua, chamados na verdade de hidroponia. A água com nutrientes circula em canos e assim leva nutrientes as plantas.

Na aquaponia é igual a hidroponia. Mas quem produz os nutrientes são os peixes ao fazerem “coco”na água e com isso deixarem nitritos e nitratos como forma de nutrir as plantas.

Com isso, se fecha um ciclo de produção infinito, desde que haja alimentação aos peixes e a água sempre fique a crcular. De uma forma simples, é possível criar um laboratório de idéias para se desenvovler pesquisas e até criação de alimentos e peixes de forma repor os gastos.

Em breve volto com uma sequencia de textos, mas por enquanto deixo a playlist com meus vídeos de aquaponia para quem quiser ver e saber mais.